Conhecendo a biologia: Meio ambiente

Dentro da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, alunas do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia realizam pesquisa no campo do meio ambiente no tema: Fraturamento Hidráulico. Nesse Post iremos apresentar um pouco sobre o trabalho das meninas e mostrar que o biólogo também pode trabalhar com meio ambiente.

  1. O fraturamento hidráulico

A sociedade atual necessita de cada vez mais fontes de energia para atender sua grande demanda. Mesmo que, no Brasil, já existam algumas alternativas para a obtenção de energia além do petróleo, a grande necessidade por energia faz com que o país busque outras formas de obtê-la.

Atualmente os padrões de geração e aproveitamento de energia ainda são fundamentados nas fontes fósseis, o que pode causar diversos problemas ao meio ambiente, como a emissão de poluentes, gases de efeito estufa e, com isso, causam danos à saúde do planeta. Energias renováveis estão sendo cada vez mais estimuladas pois não agridem tanto o meio ambiente e, neste quesito, o Brasil consegue apresentar uma situação mais conveniente em comparação a diversos outros países.

O gás de xisto, ou gás de folhelho, é um gás natural encontrado em rochas sedimentares que levam o mesmo nome (Xisto ou Folhelho). O gás é destinado principalmente ao aquecimento de casas, geração de eletricidade e aplicações diversas em fábricas. Este gás encontra-se extremamente comprimido em mínimas lacunas no interior da rocha e, para que se possa extraí-lo, utilizando a pressão hidráulica, criam-se fraturas nas rochas permitindo que o gás escape. Esse processo é denominado faturamento hidráulico.

Os impactos da utilização do faturamento podem causar diversos danos a sociedade a natureza. Os componentes químicos utilizados no processo causam contaminação do solo o que pode acarretar grandes problemas nas plantas. A agua e os elementos químicos utilizados no faturamento pode, também, acabar se misturando nos corpos d’água e interferindo no funcionamento de lençóis freáticos e aquíferos, além de contamina-los, tornando-os impuros ao consumo

Mesmo que o faturamento hidráulico possa ser utilizado de forma simples para obtenção de energia, o processo pode causar diversos danos a natureza e também a saúde dos humanos, ou seja, talvez o fracking, como é conhecido, não seja tão viável.

Conhecendo a biologia: Biotecnologia

Uma das áreas de conhecimento dentro do curso de Biologia é a biotecnologia, que é um conjunto de conhecimentos utilizando agentes biológicos para obtenção de produtos e diversos outros fins. A biotecnologia envolve a genética, a biologia molecular, a microbiologia, entre outras disciplinas.

Dentro da Universidade Tecnológica Federal do Paraná existe o curso de engenharia de bioprocessos e biotecnologia, contando com diversos doutores especializados na área. Existem diversas linhas de pesquisa voltadas para as mais diversas áreas dentro da biotecnologia, porém no campus de Dois Vizinhos essas pesquisas são mais voltadas para a área da agronomia.

O aluno Nathan Douglas Candatten, juntamente com a professora Nédia Ghisi desenvolvem um projeto de pesquisa voltado para a Helicoverpa Armigera, que é uma das principais pragas da agricultura, que causa grandes avarias em plantações de soja, milho e algodão.

O projeto tem como principal objetivo identificar precocemente a espécie através de seu perfil morfológico e molecular, para servir de apoio a todos os agricultores da região, fazendo com que os mesmos utilizem o tratamento adequado da praga e, quando se constatar a presença da Helicoverpa Armigera, seja possível o estudo de sua diversidade genética dentro da população.

Este projeto tem grande potencial e um enorme campo de estudo e aplicação, tanto que tem planos para publicações e exposições em eventos de renome dentro da comunidade cientifica.

A matriz curricular

1 CONTEÚDOS BÁSICOS

Os conteúdos básicos deverão englobar conhecimentos biológicos e das áreas das ciências exatas, da terra e humanas, tendo a evolução como eixo integrador.

1.1 Biologia celular, molecular e evolução

Visão ampla da organização e interações biológicas, construída a partir do estudo da estrutura molecular e celular, função e mecanismos fisiológicos da regulação em modelos eucariontes, procariontes e de partículas virais, fundamentados pela informação bioquímica, biofísica, genética e imunológica. Compreensão dos mecanismos de transmissão da informação genética, em nível molecular, celular e evolutivo.

1.2 Diversidade biológica

Conhecimento da classificação, filogenia, organização, biogeografia, etologia, fisiologia e estratégias adaptativas morfofuncionais dos seres vivos.

1.3 Ecologia

Relações entre os seres vivos e destes com o ambiente ao longo do tempo geológico. Conhecimento da dinâmica das populações, comunidades e ecossistemas, da conservação e manejo da fauna e flora e da relação saúde, educação e ambiente.

1.4 Fundamentos das ciências exatas e da terra

Conhecimentos matemáticos, físicos, químicos, estatísticos, geológicos e outros fundamentais para o entendimento dos processos e padrões biológicos.

1.5 Fundamentos filosóficos e sociais

Reflexão e discussão dos aspectos éticos e legais relacionados ao exercício profissional. Conhecimentos básicos de: História, Filosofia e Metodologia da Ciência, Sociologia e Antropologia, para dar suporte à sua atuação profissional na sociedade, com a consciência de seu papel na formação de cidadãos.

2 CONTEÚDOS ESPECÍFICOS

Os conteúdos específicos deverão atender as modalidades Licenciatura e Bacharelado. A modalidade Bacharelado deverá possibilitar orientações diferenciadas, nas várias subáreas das Ciências Biológicas, segundo o potencial vocacional das IES e as demandas regionais. A modalidade Licenciatura deverá contemplar, além dos conteúdos próprios das Ciências Biológicas, conteúdos nas áreas de Química, Física e da Saúde, para atender ao ensino fundamental e médio. A formação pedagógica, além de suas especificidades, deverá contemplar uma visão geral da educação e dos processos formativos dos educandos. Deverá também enfatizar a instrumentação para o ensino de Ciências no nível fundamental e para o ensino da Biologia, no nível médio. A elaboração de monografia deve ser estimulada como trabalho de conclusão de curso, nas duas modalidades. Para a licenciatura em Ciências Biológicas serão incluídos, no conjunto dos conteúdos profissionais, os conteúdos da Educação Básica, consideradas as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores em nível superior, bem como as Diretrizes Nacionais para a Educação Básica e para o Ensino Médio.

3 ESTÁGIOS E ATIVIDADES COMPLEMENTARES

O estágio curricular deve ser atividade obrigatória e supervisionada que contabilize horas e créditos. Além do estágio curricular, uma série de outras atividades complementares deve ser estimulada como estratégia didática para garantir a interação teoria-prática, tais como: monitoria, iniciação científica, apresentação de trabalhos em congressos e seminários, iniciação à docência, cursos e atividades de extensão. Estas atividades poderão constituir créditos para efeito de integralização curricular, devendo as IES criar mecanismos de avaliação das mesmas.

Bacharelado vs Licenciatura

Ao longo da graduação, seja licenciatura ou bacharelado, o estudante cursará diversas disciplinas focadas no conhecimento biológico e suas relações com todos os elementos bióticos e abióticos, como por exemplo, anatomia humana, biologia celular, biologia molecular, ecologia, invertebrados, vertebrados entre outras além da disciplina de iniciação científica, ou outras semelhantes, no qual o acadêmico aprenderá a importância da pesquisa científica, bem como a importância da escrita científica e a publicação de artigos.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CURSO DE BIOLOGIA LICENCIATURA E BACHAREL?

O biólogo que se tornará bacharel tem uma grande curricular voltada para o conhecimento mais afundo da pesquisa científica. Esse curso, foca na formação do biólogo pesquisador, que terá como mercado de trabalho diversas áreas e ou setores responsáveis por realizações de pesquisas, como órgãos do governo, empresas e ainda ONGs ambientais. Já o curso de licenciatura, formará biólogos capacitados para dar aulas e atuar em meios sociais. O biólogo licenciado pode fazer tudo que o biólogo bacharel faz e ainda pode dar aulas para ensino médio e fundamental. O biólogo bacharel deve fazer um mestrado e então poderá dar aulas em universidade, ou, se quiser dar aulas em ensino fundamental e médio, deverá realizar um pouco do curso de licenciatura, estudando as disciplinas voltadas à educação.

Conhecendo a profissão Biólogo

A Biologia é a profissão voltada para o estudo das diferentes formas de vida, sua origem, evolução, estrutura e funcionamento, das relações entre os seres vivos, organismos e o meio ambiente. A profissão tornou-se legal após a lei nº 6.684 ter sido sancionada em 03 de setembro de 1979. A lei também originou o Conselho Federal de Biologia e os Conselhos Regionais.
Quem quiser seguir carreira na área de Biologia optará entre dois caminhos: bacharelado ou licenciatura. No bacharelado, o profissional estará apto a atuar como biólogo em empresas públicas e privadas dos mais variados ramos, desde zoológicos e reservas naturais até a indústria de alimentos. Já quem faz licenciatura é formado para dar aulas nos ensinos fundamental e médio, porém também pode atual em nível de bacharel caso se especialize na área desejada.
O biólogo pode atuar em diversas áreas do conhecimento, como:

  • Meio ambiente e Biodiversidade
  • Saúde
  • Biotecnologia e Produção

O biólogo tem seu próprio juramento, que é: “Juro, pela minha fé e pela minha honra e de acordo com os princípios éticos do Biólogo, exercer as minhas atividades profissionais com honestidade, em defesa da vida, estimulando o desenvolvimento científico, tecnológico e humanístico com justiça e paz”.